Outras entidades a quem pode recorrer para informação/apoio:

144 - Emergência Social (24h)

800 202 148 - Serviço de Informação a Vítimas de Violência Doméstica (24h)

808 222 003 - Sexualidade em Linha (dias úteis das 1​0h às 18h​)

808 242 424 - Linha Saúde 24 (24h)

808 252 257 - Linha SOS Imigrante (dias úteis das ​9h às 19h​)

UMAR contra a MGF/CGF - Breve síntese

A UMAR tem procurado visibilizar a temática da mutilação genital feminina/corte dos genitais femininos (MGF/CGF) na sua agenda e nas suas actividades há quase duas décadas, considerando-a uma violação dos direitos humanos e uma forma de violência de género exercida contra as meninas/raparigas/mulheres. Por exemplo, em 2002, a UMAR organizou aquela que foi, pensa-se, a primeira iniciativa pública da sociedade civil sobre o tema em Portugal. Esta iniciativa decorreu na Assembleia da República, na Casa Amarela, e teve como convidadas representantes da ONG guineense, Sinin Mira Nassiquê, na altura a desenvolver o projecto do fanado alternativo na Guiné-Bissau. Desde 2008, e até à data, a UMAR integra o grupo de trabalho responsável pela elaboração e implementação dos programas de acção para a eliminação da MGF/CGF (actualmente, e até 2017, encontra-se em curso o III Programa de Acção para a Prevenção e Eliminação da Mutilação Genital Feminina).

Desde 2009, a UMAR tem vindo a executar algumas das medidas (sobretudo ao nível da sensibilização/prevenção) contempladas nos sucessivos programas de acção no âmbito do seu activismo e voluntariado, ora a título individual, ora em conjunto com outras entidades.

Em 2013, a UMAR dá início ao projecto ISI - Informar e Sensibilizar para a Intervenção contra a Violência de Género (nº 086784/2012/973), financiado pela CIG/POPH/QREN/FSE, projecto de intervenção contra a violência doméstica, o tráfico de seres humanos e a MGF/CGF. Este projecto teve como protagonistas: discentes e (ex-)utilizadoras das casas de abrigo geridas pela UMAR.

Em 2013, a UMAR implementou o projecto RiiiM – Rede Intervenção Integrada Intersectorial Multidisciplinar no combate à Violência Doméstica e ao Tráfico de Seres Humanos (nº 084166/2012/977), também financiado pelos fundos estruturais. Este projecto teve como parceira a Câmara Municipal de Odivelas e um dos objectivos principais do projecto foi a criação de uma rede de intervenção especializada na violência doméstica. Porém, em 2014, esta rede decidiu criar um grupo de trabalho para a MGF constituído pela Câmara Municipal de Odivelas, a PSP de Loures, o Ministério Público de Loures, a CPCJ de Odivelas, a Unidade de Cuidados na Comunidade Nostra Pontinha, a Unidade de Cuidados na Comunidade Saúde a Seu Lado e pela UMAR. Os objectivos imediatos deste grupo de trabalho passam pela realização de acções de sensibilização/formação de profissionais e da comunidade em geral.

Portanto, o projecto IÁ-IÁ insere-se numa linha de continuidade com os projectos ISI e RiiiM, mas também com outros projectos que, desde 2008, a UMAR tem vindo a desenvolver e que têm sido financiados pelo POPH/QREN/FSE1 - de sensibilização/prevenção da violência com base no género.

1) Mudanças com Arte (Novembro, 2008-Dezembro, 2010); BIG-Bibliotecas pela Igualdade de Género (Novembro, 2008-Dezembro, 2010); Laços e Fronteiras. Novas Metodologias de Apoio às Mulheres Vítimas de Tráfico (Março, 2009-Dezembro, 2010); BIG~EI- Bibliotecas pela Igualdade de Género ~ Escola da Igualdade (Julho, 2011-Dezembro, 2012); BIIG-Biblioteca Itinerante pela Igualdade de Género (Julho, 2011-Dezembro, 2012); Corta a Rede. Sensibilizar e Prevenir Contra o Tráfico de Seres Humanos(Julho, 2011-Dezembro, 2012); Mudanças com Arte II (Janeiro, 2012-Dezembro, 2013); Assédio Sexual: quebrar invisibilidades. Construir uma cultura de prevenção e intervenção (Dezembro, 2012 - Maio, 2015), Quebrar Barreiras - Envelhecer Segundo uma Perspectiva de Igualdade de Género (Dezembro, 2012 – Maio, 2015), entre outros.